Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há Bâmbis em Mafra

por correspondente, em 26.09.13

Há dias, como “enviado especial” ao Sobreiro – Mafra, após uma Sushi (ada), ao almoço, fui, acompanhado do nosso correspondente (e companhia) no local, beber um café, na tapada de Mafra e, graças a um simpático colaborador, que embora, no início, eu não tenha ganho para o susto, quando o vi aparecer com uma maçã na mão e, tinham-me acabado de dizer que era o instrutor de tiro ao alvo, com arco e flecha, qual era a ideia dele, fazer aquela coisa, de tentar acertar na maçã, em cima da cabeça de um de nós? Mas, como ia dizendo, esclarecidas as intenções, graças a esse senhor, posso assegurar que há Bâmbis em Mafra, ou mais propriamente, Gamos!

 Desta vez, ficámos por ali, pela entrada, onde se pode beber um café sossegado (se não aparecer o limpa-fossas), mas já dei uma volta por lá, mais que uma vez, de miniautocarro e, mais tarde, num “comboio”, numa viagem experimental, em que, volta e meia, tínhamos que nos “apear” dos nossos confortáveis banquinhos e, deixar que o “comboio” vencesse alguma lomba mais teimosa.

Mas isso foi na viagem experimental, hoje acho que isso não acontece, que pena, esse pormenor, não deixou de ter piada. Contudo, os mais “radicais”, sempre têm a opção de fazerem percursos a pé pela Tapada (coitados).

A pé ou sentadinhos, é sempre uma visita agradável, dar uma “voltinha” por ali e, desfrutar da diversidade da flora existente e tentar observar os “ariscos” animais!

A Tapada tem outras actividades, creio, por exemplo, tiro ao alvo de arco e flecha (cursos). É uma questão de se consultar a página na internet!

 

Relatório de visita recente a Sobreiro - Mafra

Autoria e outros dados (tags, etc)

METRO de superfície na Amadora

por correspondente, em 26.09.13

Neste ano de eleições, o METRO de superfície na Amadora, creio eu, não veio mesmo à superfície. Costuma aparecer nestas ocasiões, apesar de que, num dos dois exemplos que transcrevo, ter surgido, já uns meses depois das eleições.

 

E até eu que lidei com algum dinheirinho, fico baralhado com os “milhões” dos projectos.

 

“A construção da primeira fase do metropolitano de superfície que ligará a zona de Algés à Falagueira, no concelho da Amadora, deverá estar concluída em 2005, disse hoje o ministro das Obras Públicas, Transportes e Habitação.

 

Valente de Oliveira assistiu à apresentação do projecto, que irá percorrer o concelho de Loures e chegará à estação de Santa Apolónia, num investimento que poderá aproximar-se dos mil milhões de euros.

 

A ligação de Algés à Falagueira já foi aprovada pelo Governo e o respectivo projecto deverá ser entregue até ao final do ano.

 

A segunda fase da infra-estrutura ferroviária prevê a ligação de Famões, Odivelas e Santo António dos Cavaleiros, no concelho de Loures.

 

Um outro traçado ligará a Falagueira ao aeroporto e à estação intermodal do Oriente, numa extensão de 12,8 quilómetros.

 

Um terceiro troço está previsto para a zona de Alcântara até Santa Apolónia, numa extensão de 10,3 quilómetros.

 

O ministro disse que gostaria de ver uma parceria público/privado, apesar de admitir que o motor do projecto será o Estado e as câmaras municipais.

 

Para acolher eventuais parceiros privados, serão abertos concursos públicos para as várias fases do empreendimento, defendeu Valente de Oliveira, que pôde apresentar hoje o seu primeiro projecto de obras públicas enquanto membro do Executivo.

 

Para o sector da construção, esta infra-estrutura ferroviária constitui um primeiro passo para dinamizar as obras públicas e aumentar os níveis de confiança dos empresários do ramo.”

 

No jornal Público em 2002

 

16-12-2001 – Eleições Autárquicas

 

 

“Uma linha de metro ligeiro com pneus, sucessor dos antigos troleicarros como os que existem em Coimbra, vai ligar as novas extensões do metropolitano. (Veja o vídeo e o mapa em documento PDF no final do texto).

11:29 Sábado, 25 de julho de 2009 As câmaras da Amadora e de Odivelas vão investir na criação de uma linha de metro sobre pneus, numa extensão de 7,5 km entre a actual estação de Metro da Amadora e o interface a construir na Reboleira, prolongando-se depois até ao centro comercial Dolce Vita Tejo.

 

O investimento na primeira fase é de 8,9 milhões de euros e de 16 milhões para a segunda, afirmou o vice-presidente e vereador dos transportes da Câmara da Amadora, Gabriel Oliveira.

 

A Chamartin proprietária do Dolce Vita deverá contribuir com 4 milhões para as obras. Gabriel Oliveira salienta ainda que este modo de transporte não só é mais barato que o convencional metro de superfície sobre carris, mas também é mais amigo do ambiente.

 

Esta linha vai permitir fazer a ligação às novas extensões do metropolitano previstas, como o prolongamento da Amadora ao Hospital Amadora-Sintra.  São três novas estações (Atalaia, Amadora-Centro e Hospital) num percurso de 2,5 km, que têm um custo estimado de €240 milhões.

 

A secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino considera que  a coordenação entre a administração central e local permite que as mais-valias geradas sirvam para financiar o processo. "Há um compromisso das câmaras para apoiarem projectos junto das futuras estações cujas mais-valias poderão financiar o metropolitano", acrescentou.”   

 

No Jornal Expresso em 2009

 

11-10-2009 – Eleições Autárquicas

 

Existe um senhor comentador na TV que não gosta da palavra “projecto”, porque, segundo ele, um projecto, é isso mesmo, um projecto, uma coisa ainda por fazer e, que não passa disso. Estou como ele!  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mensagens


Objectivo: ”coscuvilhar” assuntos aqui da terrinha e arredores.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


Comentários recentes

  • LM

    bom ano!! :)

  • correspondente

    Queria aproveitar a todos aqueles que se deram ao ...

  • correspondente

    Bom, de repente pela maioria dos comentários pense...

  • Manuel da Rocha

    Podia ter dito o nome da empresa a que se referiu....

  • LM

    Passei a usar transportes públicos desde que mudei...

  • Teo

    Existiram carruagens do M onde foram retirados ban...