Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correspondente no Casal de S. Brás

Objectivo: ”coscuvilhar” assuntos aqui da terrinha e arredores.

Correspondente no Casal de S. Brás

Objectivo: ”coscuvilhar” assuntos aqui da terrinha e arredores.

Empreendedorismo à sombra do Ninho

correspondente, 16.05.14

Eu sei que ultimamente os temas abordados têm “fugido” um pouco ao âmbito deste blogue. Sei que estes deveriam ser menos genéricos e mais sobre o que se vai passando por cá, mas apesar disso, hoje, volto a abordar um tema mais abrangente, um tema que quase poderia ser a “parte 2” do anterior post. Contudo, prometo, após este post, voltar entrar na “linha”, só não sei é se na falta de notícias não me irei “agarrar” à História. Ou então, pode sempre acontecer, via Sobreiro – Mafra, receber alguma “peça”, do nosso correspondente local, para ser aqui publicada.

O tema abordado nas linhas que se seguem foi inspirado por um diálogo, entre uma mãe e uma filha (entre os 10 ou 13 anos), uma conversa que “apanhei” na rua e, que apesar de ingénua, reflete muita coisa.

A mãe pergunta à filha:

- E então, tens vendido muitas pulseiras?

Responde a filha:

- Tenho, os outros estão a vender por 55 cêntimos e eu por 15 cêntimos, estão todos a comprar das minhas!

M:

- Claro, por esse preço! Nem pagam os elásticos. Elásticos que te comprei e que ainda não mos pagaste.

F:

- Estou a fazer uma promoção. Eu sei o que estou a fazer. Não te metas nos meus negócios!

Mais palavras para quê? A maior parte dos filhos (mais crescidinhos que esta miúda), hoje, são mais ou menos assim, uns grandes empreendedores com os “dinheiros” dos pais e, nem admitem uma sugestão de quem os financia. E de asneiras em asneiras vão tendo a “rede” familiar sempre a amparar a queda, mais que provável!